Projetos

Viagem ao Oiapoque




Carta para o Doni de 2004

Carta para o Doni de 2004.

Hey Doni, eu sou você, porém melhorado (hehe, brincadeira).
Eu sei que parece um pouco confuso, mas é isso mesmo, decidi enviar uma carta para você para te dar alguns toques sobre os próximos anos...
Como sei que você é um pouco ansioso, isso ira te ajudar pra caramba.
Então lá vai, primeiramente cara, você não esta fora do país, e você ainda não pisou em todos os continentes, para falar a verdade, você ainda nem saiu do Brasil.
Sei que você vai até duvidar que eu sou o "Adonikan" com 26 anos agora...
Pois lembro que sair do país era uma meta para você, e sei que você esta gastando todas as suas forças nisto.
Mas mano acredite, esse vazio que esta dentro de você não vai sair assim, ele vai sair, porém não é um país, ou uma paisagem ou até uma pessoa que vai te tirar essa angústia, não posso te contar o que é,
porque eu estragaria o melhor momento da sua vida.
Se serve de consolo, já fomos em quase todos os estados do nosso Brasil...
Se eu te conheço bem, você deve estar curioso para saber sobre nossa área sentimental, então vou te adiantar...
Mano você vai fazer muita cagada na sua vida, vai jurar amor eterno para algumas pessoas, e vai continuar tentando suprir esse vazio dentro de você com uma pá de mulher,
vai com calma mané,
você vai fazer pessoas sofrerem desse jeito.
E para você não falar que eu só tô aqui para te dar sermão, vou te contar uma coisa legal,
mano você esta namorando(ou eu estou, sei lá),
tipo, você namorará varias vezes nesses próximos dez anos,
mas ela é diferente, ela se tornará sua melhor amiga, ela é linda manolo(isso é uma gíria dos anos futuros),
ela é mais bonita que aquela loirinha no show do CPM (eu nem lembro da loirinha, mas lembro que fiquei todo galudinho um tempão), mas voltando, mano sua namorada é sua melhor amiga, tudo aquilo que você precisará, vocês vão passar varias barras juntos, e ela te ajudará muito, por isso é muito importante que seja ela, não vacila eim...
Queria te escrever mais um monte de coisas, mas agora tenho que terminar um trabalho da faculdade,
eeeeeh muleque, você esta na faculdade, demorou mas você se achou,
você vai tentar fazer varias cursos antes, e se quer um conselho, "faça tudo que der na teia".
Não fique preocupado com dinheiro(você aprenderá viver sem ele), e nem com status, acho que você nunca preocupou com isso mesmo né...
Alguns últimos conselhos,
Cultive suas amizades, daqui a dez anos você vai me agradecer,
se tiver um tempinho vai na casa da Vó todo final de semana, daqui uns dias eles não vão estar mais lá,
falei isso para você valorizar mais eles, e não se assuste com a palavra "morte", ela que vai fazer você amadurecer, e vai te dar um novo sentido para a palavra "Vida".
Se quiser não escutar nada do que te disse, ta de boa,
só corta esse cabelo, acho que facilitará muito as coisas.


Ass: Adonikan Filho, versão melhorada



Getúlio

Mais uma vez sinto vontade de escrever, estou esperando chegar à idéia certa, e jurando que ela virá começo a escrever. Lokahi continua rolando no mídia player, e a única coisa que me vem na mente e a imagem de Getúlio, aquele morador de rua que foi pai da Ana Flavia e da Jessica (ou algo parecido), já são 02h02min e agora o que tenho são as lembranças do primeiro encontro que tive com ele, as historias contadas de como foi preso pela terceira vez, e de onde era sua nova morada (um ponto de ônibus abandonado bem próximo a rodoviária), que é muito melhor que a jaula onde estava na noite anterior. Getúlio a todo o momento falava de suas filhas. Algumas promessas lhe foram feitas que encontraríamos suas filhas.
         Me lembro como se fosse hoje do rosto frustrado de Getúlio por ainda não termos encontrado suas filhas sete dias após as promessas mal sucedidas de encontra-las, seu rosto estava magro, o crack já o dominava e estava mais descontraído. Brinquei sobre uma droga que usei, que me deu uma noia eterna,ele riu
       Agora esta tocando um Jude Airplane, forço a memória para me lembrar de cada detalhe de meu ultimo encontro com Getúlio. Sim! Lembro-me! Seu rosto estava muito machucado, havia tomado uma pedrada de outro morador de rua por razões desconhecidas, falava somente em vingança, estava convicto, irremediável. Não se lembrava do meu nome, e ele tinha me prometido que não esqueceria, não o cobrei tanto, pois estava bem claro o efeito das drogas em seu raciocínio. E esse foi meu ultimo encontro com ele, em uma quinta feira por volta das 01h30min da madrugada.

       Quinze dias depois, no noticiário falou sobre um morador de rua ter sido assassinado com uma facada no pescoço enquanto dormia. E foi assim com uma faquinha de pão em seu pescoço que Getúlio saiu da vida para entrar na minha historia.







PS: Getúlio e um nome inventado, mas infelizmente a historia e real







"Toda Obediência deve ser celebrada."


Jim Stier


Los hermanos - Esquadros


#Adonikanismo

Sou predestinado a ter meu livre arbítrio, e com meu livre arbítrio, eu escolho a predestinação...


#Adonikanismo

By:Doni Filho

O grande espetáculo



Um dia, um homem com grande capacidade artística, decidiu escrever uma peça de teatro. Este homem dedicou muito do seu tempo para criar cada detalhe, criou a personalidade de cada personagem, criou com cuidado os cenários, gastou tempo verificando toda a iluminação. Para que sua peça fosse considerada uma verdadeira obra prima.
  Depois de anos escrevendo e trabalhando este homem decidiu começar a fazer a seleção para os atores que iriam contracenar esta magnífica peça teatral. Com grande dificuldade de achar atores bons, utilizou cada ator que vinha até Ele em um lugar no espetáculo, não dispensou ninguém, pois o elenco que precisaria era mui grande.
Após meses de ensaio, com grande dedicação do Elenco e do autor (que também se tornara diretor, por falta de pessoal qualificado), o medo, a tristeza, e outros sentimentos negativos tomaram conta do elenco, pois não havia talento em nenhum deles. Mas o autor (e também diretor) estava sempre sorridente e isso ajudava a melhorar o clima dos ensaios, porem havia um momento do ensaio que reinava um silencio, até mesmo para o diretor, este momento era as falas do protagonista. Desde o começo da seleção ninguém nem ao menos se arriscou a interpretar as falas do protagonista (por serem elas, bastante complexas), e por esse motivo, o autor que tinha decorado todas as falas, sempre ensaiava no papel de protagonista, todos sentiam medo de a peça nunca entrar em cartaz, por faltar o ator principal. Mas o entusiasmo do diretor (que também era o autor), fazia todos acreditarem que ia aparecer um ator bom o suficiente para fazer o papel principal.
Com o tempo, os atores acostumaram com a forma de o autor dirigir, e tudo acontecia com uma perfeição profissional (mesmo os atores, não sendo bons), a peça era maravilhosa, os atores já tinham decorado suas falas, a única coisa que faltava era o protagonista. Todo o trabalho de meses seria em vão, caso não aparecesse uma pessoa boa o suficiente para o papel. Então foi marcada uma reunião, e todos acreditavam que seria para informar que os recursos haviam acabado e que a peça não aconteceria, mas com um sorriso no rosto o diretor informou que tinha agendado a estreia do espetáculo. E em relação ao personagem principal, Ele mesmo contracenaria.
E dessa forma a peça aconteceu, e ficou tudo perfeito. No final todos aplaudiram de pé, e homenagearam o Autor, Diretor e Protagonista. Pois Ele escreveu uma excelente obra (talvez uma dAs melhores de todos os tempos), confiando em pessoas que não tinham nenhum talento, transformando-as em artistas de qualidade, e também pela sua atuação na peça, que salvou o espetáculo.

Inconstância

Somos inconstantes pq estamos constantemente querendo ser melhor ou igual aos outros.
By:Doni Filho

Temporada de Inverno Manancial

Primavera!

De quantas primaveras você se lembra?
By:DoniFilho